terça-feira, 17 de setembro de 2013

Machado de Assis - O Alienista



O Alienista
Autor: Machado de Assis
Páginas: 48
Editora: rovelle


O Alienista chegou às minhas mãos após pesquisas pelo Google sobre psiquiatria, e hospícios dos séculos passados para a concretização de um projeto que tenho produzido.

Depois de ler tantas coisas que não me deram muita firmeza sobre, acabei por me lembrar que meu irmão ganhara uma coleção de obras do Machado de Assis há anos. Então peguei O Alienista, que me surpreendeu.

É claro que se trata de uma obra de ficção, mas tenho como opinião que não devemos de jogar fora a ficção para certos tipos de pesquisa, pois creio que o autor (principalmente no caso de Machado de Assis) se baseou em algum acontecimento histórico da época para escrever a obra. 

Simão Bacamarte é um cientista cheio de anseios em desvendar as razões da loucura e achar a cura para tal doença tão perturbadora. É um dos maiores médicos do Brasil, Portugal e Espanha e acabara por ficar em Itaguaí junto com sua esposa Dona Evarista, uma mulher mal composta de feições que também não é apta para lhe dar filhos.

É em Itaguaí que o alienista começa suas pesquisas e cria a Casa Verde, um lugar para loucos passarem uma longa temporada de tratamento. 
A princípio o médico ganha o apresso de toda a população, até que as coisas começam a mudar, e a personalidade de Simão Bacamarte vai sendo revelada gradualmente e se apresenta perigosa para todos os moradores de Itaguaí.

O Alienista é mais uma obra do grande escritor Machado de Assis, que nos apresenta uma história bem construída e composta por personagens que nos marcam, como Dona Evarista, Padre Lopez, o Boticário e muitos outros. 

A linguagem antiga não me atrapalhou na compreensão da história. Bastou ler com atenção, que tudo fluiu normalmente. E com isso também tive umas ideias do nosso português antigo e das "gírias" da época.

O desfecho da história é muito bom, mas mesmo antes de chegar à última página já podia prever o que aconteceria ao ilustre Simão Bacamarte, pelo rumo que a história estava tomando. 


QUOTE

"-  Olhe, D. Evarista, disse-lhe o Padre Lopes, vigário do lugar, veja se seu marido dá um passeio ao Rio de Janeiro. Isso de estudar sempre, sempre, não é bom, vira o juízo."


Tiago Vieira.

sábado, 14 de setembro de 2013

Pelas prateleiras da Livraria Cultura

Imagem: Renato Vieira

Depois de uma prova de Física em pleno sábado, a convite de meu irmão Renato, fui dar um passeio pelo Centro do Rio de Janeiro com o objetivo maior de visitar a literalmente grande Livraria Cultura.
Nós usamos o trem de Quintino à Central, e depois um metrô até à Cinelândia. Logo quando saímos da estação do metrô, damos de cara com a imponente e colonial Biblioteca Nacional, e logo ali perto, o Theatro Municipal.

Acho o Centro do Rio de Janeiro uma das partes mais bonitas da cidade. Muitos que não moram no Estado pensam que o Rio é somente aquilo que a mídia passa lá fora: praias e morros. Exite muito mais do que isso, como as florestas, os parques e a região central que nos leva a conhecer um pouco da época colonial do Rio de Janeiro.
  
Foto: Renato Vieira
Depois do almoço, fomos à Livraria Cultura. É um lugar com excelentes atendentes, e todos que lá entram se sentem à vontade a procurar os livros, pegar para dar uma lida, sentar e relaxar. Não há aquele clima chato de desconforto. 
O lugar é muito grande. Segundo um amigo do meu irmão, essa livraria chega a ser maior do que a Barnes & Noble da Union Square que fica em Nova Iorque. Isso para vermos a grandiosidade dela.

Há sessões só de livros internacionais em diversos idiomas. Vi uma prateleira com os livros do Nicholas Sparks lançados nos Estados Unidos que ainda são inéditos aqui no Brasil, como o título The Rescue. Também há grandes sucessos como os livros que inspiraram a série The Walking Dead e outras.

Foto: Renato Vieira.

Tem uma sessão de livros voltados mais para o público adolescente, outra para amantes de histórias em quadrinhos, outra para os amantes e estudiosos de Filosofia, História, Antropologia, Ciências Políticas e muitos outros temas.
Destaco também a sessão de Guias de Turismo, onde meu irmão viajou por lugares que já foi, e outros que ele deseja ir.  

Para a minha alegria, ganhei dois livros que me interessei. Um, é A Culpa é das Estrelas (John Green),e o outro é Indomável (Nick Vujicic). Estes serão minhas próximas leituras, e acho que irei gostar bastante dos dois. 

Foto: Tiago Vieira

É isso. Recomendo um passeio à Livraria Cultura à todos os amantes de livros. É um lugar enorme, confortável, onde você viaja por todas as prateleiras e conhece mais ainda do universo fantástico que é a literatura. 

Tiago Vieira.